Sarcopenia - A visão do Cardiologista

A sarcopenia é um processo relacionado ao envelhecimento, que se caracteriza por redução progressiva da capacidade funcional do indivíduo, secundário a perda de força e massa musculares. Apresenta causas multifatoriais, envolvendo estilo de vida, comorbidades (insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal crônica, por exemplo) e as próprias modificações biológicas secundárias ao envelhecimento como inflamações crônicas, anormalidades mitocondriais, redução da função e número de células satélites e alterações hormonais.

Até o momento, nenhuma medicação demonstrou ser eficiente no tratamento da sarcopenia. Ao contrário, o exercício, através de suas ações de aumento da efetividade e da massa musculares, tem demonstrado ser uma útil ferramenta na síndrome de fragilidade do idoso, e apresenta ação sinérgica significativa com concomitante suplementação proteica para controle da sarcopenia.

O exercício atua em vários mecanismos biológicos deletérios relacionados a sarcopenia, aumentando as unidades motoras musculares, atuando em marcadores inflamatórios, reduzindo o stress oxidativo e aumentando a capilaridade muscular através de atividades de endurance, aumentando o recrutamento, o reparo e o número de células satélites, reduzindo a infiltração gordurosa e consequente lipotoxicidade, aumenta o mTOR (aumentando a síntese proteica), reduz a resistência à insulina e aumenta o número e eficiência mitocondrial.

Apesar de haver vários trabalhos demonstrando estes efeitos benéficos do exercício na sarcopenia, ainda não há uma completa definição de qual seria a prescrição ideal de atividade física para este grupo de pacientes, do ponto de vista de tipo, frequência, intensidade, carga, periodicidade ou duração. Para tentar solucionar este problema, está em andamento o estudo “Sarcopenia and Physical fRailty IN older people multi-componenT Treatment strategies” (SPRINTT), que tem por objetivo estruturar um programa de treinamento estruturado para este grupo de pacientes.

O protocolo sugerido envolve treinamentos aeróbico, força, equilíbrio e flexibilidade. O programa foca na caminhada leve a moderada, 150 minutos/semanais, precedidos e sucedidos por alguns minutos de aquecimento e recuperação respectivamente, como modo primário de atividade física para prevenção ou retardo da progressão do quadro de inatividade, devido a sua facilidade de aplicação na população geral. Associa-se, 3 vezes por semana, sessões de exercício de força priorizando-se membros inferiores, sendo que ao fim da sessão um único exercício determinado para membro superior será realizado. Ainda há estímulo para que os participantes do estudo aumentem suas cargas de exercício em suas atividades cotidianas, incluindo-se atividades como esportes de lazer, jardinagem, uso de escadas e caminhadas com amigos. Além destas atividades, exercícios de equilíbrio são realizados, com graus progressivos de complexidade, com aumento da dificuldade de acordo com a adaptação individual. Exercícios de flexibilidade encerram a sessão.

O programa é dividido em 2 fases, com duração de 2 anos. A primeira fase (adoção) vai da 1ª a 52ª semanas, sendo realizado 2 vezes por semana em centro supervisionado, e 1 vez por semana entre as 4 primeiras semanas, 2 vezes entre a 4ª e 8ª semanas, e 3 ou mais vezes a partir deste ponto ate a 52ª semana em programa domiciliar, o que será repetido na segunda fase (manutenção) até o fim do protocolo, com progressão gradual conforme as características do paciente.

E conclusão, os trabalhos atuais demonstram que a prática do exercício regular é benéfica para este grupo de pacientes, a suplementação proteica tem um potencial sinérgico bem estabelecido, e devem fazer parte da prescrição de tratamento e prevenção do paciente com sarcopenia.

Bibliografia:

Physical activity and exercise as countermeasures to physical frailty and sarcopenia. Emanuele Marzetti · Riccardo Calvani · Matteo Tosato · Matteo Cesari · Mauro Di Bari ·Antonio Cherubini · Marianna Broccatelli · Giulia Savera · Mariaelena D’Elia · Marco Pahor ·Roberto Bernabei · Francesco Landi · on behalf of the SPRINTT Consortium. Aging Clin Exp Res published online: 08 February 

2017 Exercise and Sarcopenia Steven Phu, Derek Boersma, and Gustavo Duque Journal of
Clinical Densitometry: Assessment & Management of Musculoskeletal Health, vol. -, no. -, 1e5,

2015 Exercise and Protein Intake: A Synergistic Approach against Sarcopenia. Anna Maria Martone, Emanuele Marzetti, Riccardo Calvani, Anna Picca,, Matteo Tosato, Luca Santoro, Angela Di Giorgio, Antonio Nesci, Alex Sisto,Angelo Santoliquido, and Francesco Landi. Hindawi BioMed Research International Volume 2017

Por  Marco Aurelio Moraes de Souza Gomes
Médico Cardiologista especialista em Medicina Esportiva.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

25 perguntas sobre osteoporose

Manual do Cuidador de Idosos

Minha foto
Prefrati - Prevenindo Quedas e Fraturas em Idosos
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Prevenindo Quedas e fraturas em Idosos